Números da violência no Brasil

Total de mortes por arma de fogo em 100 mil habitantes no Brasil - 21,8

(nos últimos 20 anos, a taxa de mortalidade por armas de fogo no Brasil triplicou)

(Fonte: Datasus)

 

Em 2002 foram mortas 38.088 pessoas por arma de fogo no Brasil, sendo 90% homicídios, 3,6% suicídios, 0,8% acidentes e 5,6% intencionalidade desconhecida.

(Fonte: Datasus)

 

Taxa de homicídio por arma de fogo em 100 mil habitantes no Brasil - 21,2

63,9% dos homicídios foram cometidos por arma de fogo

19,8% dos homicídios foram cometidos por arma branca*

0,8% dos homicídios foram cometidos por agressão física

15,5% dos homicídios foram cometidos por outras causas

(Fonte: Datasus)

* Instrumentos contundentes, perfurantes e cortantes

 

Maiores taxas de mortalidade por arma de fogo do sexo masculino,

segundo faixa etária, por 100 mil habitantes no Brasil:

71, 2 (homens de 15 a 19 anos)

103,1 (homens de 20 a 29 anos)

57,7 (homens de 30 a 39 anos)

34,6 (homens de 40 a 49 anos)

(Fonte: Datasus)

 

Entre os adolescentes de 15 a 19 anos que morreram no Brasil no ano 2002:

39,1% foram vítimas de arma de fogo

14,8% acidentes de trânsito

19,9% de causas naturais

26,3% de outras causas

(Fonte: Datasus)

 

Taxa de mortalidade por arma de fogo segundo raça/cor, por 100 mil habitantes no Brasil:

28,5 pardos

16,6 brancos

30,1 negros

(Fonte: Datasus)

 

As internações de vítimas de armas de fogo custam ao sistema de

saúde 16,45% mais que as internações por acidentes de trânsito

(Fonte: Sistema de Informação de Hospitalização – SIH)

 

Estimativa do total de armas de fogo existentes no Brasil: 17 milhões

49% armas legais

28% ilegais de uso informal

23% ilegais de uso criminal

(Fonte: Viva Rio, Small Arms Survey, 2005)

 

Armas de fogo apreendidas e acauteladas pela polícia no estado do Rio de Janeiro:

Das 86.849 armas apreendidas em ocorrências criminais registradas nas

Delegacias Legais de abril de 1999 até julho de 2005:

33% Tinham registro legal.

39% Informais (compradas em loja antes de 1980, quando não era necessário registrar)

28% Contrabando

 

Entre as que tinham registro legal:

65% Haviam sido registradas por pessoas físicas

29% Foram desviadas do patrimônio do Estado

6%  Foram desviadas de Empresas de Segurança Privada.

 

Entre as armas que eram fruto de contrabando:

77% Eram brasileiras

23% Eram estrangeiras

Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro (SSP-RJ)/ Delegacia Legal/ ISER