SÃO TURÍBIO DE MONGROVEJO

No dia 23 de março, a Igreja celebra a memória facultativa de são Turíbio de Mongrovejo, arcebispo de Lima, no Peru. Um dos primeiros e mais importantes santos da América Latina.

Turíbio nasceu em 1538, de família nobre, em Leon, na Espanha, no tempo em que a América estava sendo evangelizado. Estudou em Valladolid, depois com os frades dominicanos, em Salamanca e em Santiago de Compostela. Licenciou-se em direito.

O ano de 1573, foi ordenado sacerdote e depois foi nomeado membro da Inquisição espanhola. Destacava-se por seus juízos bem ponderados e humanitários. Por isso, o papa Gregório XIII o nomeou para a o importante ministério de Arcebispo da cidade de Lima, no Peru. Era então uma Arquidiocese enorme e tinha jurisdição sobre mais de 6 milhões de quilômetros quadrados. Todo o Rio Grande do Sul, naquele tempo ainda pertencia a Espanha e estava sob a jurisdição do Arcebispo de Lima.

Dom Turíbio de Mongrovejo ficou por 25 anos exclusivamente a serviço do Povo de Deus, correndo de um lado para o outro, dentro da grande Arquidiocese. Mesmo assim, ainda teve tempo para realizar dez sínodos diocesanos e assim organizou de maneira notável a Igreja da América Latina.

O sínodo provincial em Lima, celebrado em 1582, chegou a ser comparado, pelo seu teor e importância para a diocese, igual ao Concílio de Trento, há pouco concluído na Itália. Todas as atas deste sínodo e os Decretos do arcebispo estão publicados no Peru e se conservam nos arquivos da Arquidiocese de Lima.

Pela importância, na organização da Igreja, e pelo trabalho incansável na criação e no provimento de novas paróquias, são Turíbio de Mongrovejo foi comparado a são Carlos Borromeu pelo papa Bento XIV (1740 a 1758). Foi chamado de apóstolo do Peru e novo santo Ambrósio.

Em 1594, Turíbio de Mongrovejo escrevia uma carta-relatório a Felipe II, rei da Espanha, contando de suas longas viagens. Havia percorrido então 150.000 km, administrado a crisma a 60 mil fiéis, entre os quais três que se tornaram santos: santa Rosa de Lima, padroeira da América Latina, são Francisco Solano e são Martinho de Porres.

São Turíbio de Mongrovejo amou os índios e sua cultura. Fez questão de receber o viático justamente em uma capelinha indígena.

Morreu numa quinta-feira santa. Era então o dia 23 de março de 1606. O povo imediatamente o considerou santo. Foi canonizado oficialmente cinqüenta anos depois de sua morte. Ao longo do mês de março, nós podemos buscar a sua intercessão, dizendo: são Turíbio de Mongrovejo, rogai por nós.