SÃO  CIRILO

São Cirilo foi o sucessor e sobrinho de Teófilo, Papa de Alexandria. Quando jovem entrou no monastério de são Macarius onde aprendeu a sabedoria dos monges do deserto. Seguindo isso, voltou a Alexandria onde foi ordenado padre e subiu pela hierarquia até que finalmente se tornou Papa da Igreja egípcia. Dali em diante, ele começou a combater a heresia e a apostasia, enquanto ajudava a acabar com a heresia Nestoriana, e até mesmo refutou o Imperador Juliano quando este tentou, pela última vez, remover o Cristianismo do Império romano. Conquanto São Atanásio tinha lutado contra Arius, também Cirilo lutou agora contra Nestor. Ele escreveu uma carta a Nestor explicando porque sua idéia de dois seres individuais na pessoa única de Cristo era herética, e enviou cópias aos outros Papas de Roma, Antioquia, Jerusalém, e Aleppo, como também para o tribunal imperial. Embora Nestor só respondesse com desprezo, as outras cartas tiveram respostas favoráveis elogiando os esforços dele e oferecendo o seu apoio. Mais cartas foram escritas, mas Nestor ficou mais teimoso, tentando mesmo antagonizar o Imperador Teodósio contra Cirilo. Esta controvérsia eventualmente se tornou tão grande que a convocação de um sínodo de bispos parecia a única solução. Teodósio convocou o Primeiro Concílio de Éfeso direcionado pela heresia, que foi celebrado em 431. Os bispos presentes elegeram Cirilo para presidir o concílio. Embora Nestor estivesse perto de Éfeso, ele se recusou a comparecer perante o concílio. As convicções de Nestor foram julgadas heréticas e uma sentença de excomunhão foi proferida pelos duzentos bispos em cumprimento. Seis dias depois, João, Papa de Antioquia, chegou com seus bispos que não tinham conseguido chegar a Éfeso a tempo para o Concílio. Embora não acreditassem no que Nestor fazia, se posicionaram com ele contra os bispos do Concílio e o julgaram inocente. Eles fizeram um encontro entre si e emitiram uma acusação contra são Cirilo! O Imperador ordenou que fossem confinados São Cirilo e Nestor e os vereditos de ambos os Concílios foram declarados nulo. Foram despachados três delegados de Roma e quando eles chegaram, condenaram Nestor e aprovaram a decisão de são Cirilo. O Imperador vindicou são Cirilo com honra e ordenou o exílio de Nestor. Os bispos de Antioquia deram continuidade a um cisma secundário durante um tempo, mas fizeram a paz com Cirilo em 433, concordando finalmente com a decisão do Concílio. Em 1882 são Cirilo foi declarado um Doutor da Igreja, tanto por seu trabalho em defesa da fé no Concílio de Éfeso como pela liturgia que leva seu nome. De acordo com a tradição a liturgia tinha sido transmitida oralmente começando com o próprio são Marcos, mas São Cirilo a completou e escreveu tudo para que não fosse esquecido. É cantado no mundo inteiro pelos cristãos durante quaresma.