Cardiaca

rubim, agripalma, cordão de frade, cauda de leão

leonurus sibiricus, leonurus cardíaca

Antiespasmódica, tônica, expectorante, cicatrizante, emenagogo, estomáquico, diurético e vermífugo. Auxiliar no tratamento de distúrbios cardíacos.

Sumidades floridas usadas na limpeza de feridas e úlceras de pele.

Planta originária da Sibéria e da China, hoje com vasta distribuição no mundo. No Brasil é encontrada em quase todas as regiões, mas raramente forma densas colônias. É uma planta herbácea anual, ereta, robusta, propagada através de sementes na primavera, prefere solo bem-escoado, terra úmida em local ensolarado ou sombra parcial. Leonurus vem do grego "leon", leão, e "oura", cauda, motivado pelo aspecto da parte terminal da planta. "Sibirucus" significa da Sibéria, região de onde a planta é oriunda.

As partes usadas são a planta inteira, ou apenas as sementes. As plantas são cortadas quando florescem, mas antes que as sementes amadureçam, são secadas para infusões, extratos líquidos e tinturas ou usadas frescas em decocção, xaropes e cataplasmas. As sementes são coletadas no outono, quando maduras, secando-se a planta inteira, sovando e peneirando para remover as sementes.

Propriedades: uma erva amarga, diurética que estimula a circulação e o útero, abaixa a pressão sanguínea, regula a menstruação e elimina toxinas. Também é efetiva contra infecções bacterianas e fungais. As sementes são ligeiramente doces e têm ações semelhantes, mas são menos efetivas como diurético e desintoxicante.

A erva é usada interiormente para problemas de visão relacionados ao fígado (sementes); menstruação dolorosa e excessiva, sangramento pós-parto (planta inteira, sementes); edema, problemas renais, pedras renais, eczema, e abscessos (planta inteira). Não deve dado às mulheres grávidas.