Arnica do mato
arnica vulgar, arnica do campo, erva lanceta ou federal

senecio brasiliensis less, solidago microglossa

Partes usadas: folhas.

Família: compostas (Asteraceae).

Caracteristicas: herbácea de caule pouco ramificado, raízes negras e fibrosas, folhas ovais em forma de roseta, flores amareladas semelhantes às da margarida. Também conhecida como Arnica-das-montanhas, arnica-verdadeira e tabaco-das-montanhas.

Dicas de cultivo: adapa-se melhor a solos arenosos, levemente ácidos, com húmus e iluminação plena. O plantio é feito por sementes ou divisão de touceiras, em qualquer época do ano. O espaçamento entre cada cova deve ser de 0,3 x 0,3 m.

Princípios ativos: Lactonas, esteróides, arnicina, inulina, carotenos, ácidos graxos, resinas e taninos dentre outros.

Propriedades: anti-séptica e cardiotônica.

Indicações: é muito eficiente para uso externo no caso de machucaduras e contusões. também para resolver problemas de espinhas, acnes e furúnculos antes de vazarem. Não é bom usar arnica em feridas abertas. É venenosa, por isso só é recomendada para uso externo.

Toxicologia: em excesso pode ocasionar eritema e queimação. No uso interno, náuseas, vômitos, taquicardia e depressão.