Agoniada

plumeria lancifolia

Partes usadas: casca e folhas.

Família: apocynaceae.

Características: planta que atinge até 8 m de altura, de raízes compridas, folhas opostas e lanceoladas; suas flores são brancas e os frutos fusiformes. É também conhecida como arapuê, jasmim-manga, quina-mole, sucúba e tapuoca.

Princípios ativos: glicosídeos (agoniadina) plumerina e ácido plumeritânico.

Propriedades: febrífuga, balsâmica.

Indicações: combate cólicas menstruais, febre, asma brônquica e ansiedade.

Farmacologia: a agoniada possui ação anti-inflamatória e anti-espasmódica sobre o útero demonstrada em laboratório, justificando sua indicação nas dismenorréias. Seus extratos apresentam igual atividade espasmolítica sobre a musculatura lisa do intestino de cobaias. Estudos realizados mostraram que o extrato bruto da planta tem ação protetora da mucosa gástrica induzida por estresse, indometacina e por álcool.

Riscos: o uso não é indicado durante a gestação e aleitamento materno. Não deve ser administrado em crianças.

Adultos: prepara-se o chá, por infusão, utilizando-se 5 gramas de folhas de Agoniada picadas para 1 litro de água fervente. Tomar 2 a 3 xícaras do chá morno sem adoçantes, diariamente pelo tempo necessário a cura.

Uso fitoterápico - tem ação: antiespasmódica, antisifilítica, emenagoga, purgativa, febrífuga, galactogoga, resolutiva, anticonceptiva, antihelmíntica, antiasmática.

É indicada: inflamação no útero, ovários e menstruações difíceis; febrífuga; laxativa; purgativa; sedativa; reguladora dos ciclos menstruais; resolutiva e desengurgitante para adenites e gânglios supurados; constipação intestinal; bronquite crônica.