MISSA  DO  GALO

A partir do ano 330, a Igreja celebra, em Roma, o nascimento de Jesus a 25 de dezembro. Porque é o dia do solstício do inverno romano. Porque nesse dia do nascimento do sol, os pagãos festejavam o natal do deus-sol - Natalis Invictus.

Por isso, os romanos passaram a celebrar, nesse dia, a festa da posse do deus-imperador. Por isso, o imperador Constantino, cristão, substituiu as festas pagãs, com um sincretismo do culto ao sol e ao Imperador.

Instituiu a festa de Natal do sol da justiça e da luz do mundo, Jesus Cristo.

Como preparavam a festa do Sol, com as festas pagãs de 17 a 24 de dezembro, chamadas Saturnais, assim surgiu o tempo do advento, para preparar o Natal de Cristo.

No século IV, a comunidade cristã de Jerusalém ia em peregrinação a Belém, para celebrar a missa do Natal na primeira vigília da noite dos judeus, na hora do primeiro canto do galo, mencionado por Jesus na traição de Pedro (Mt. 26,34 e Mc 14,68.72). Por isso, a Missa da meia noite no Natal, se chama Missa do Galo, do primeiro canto do galo.

Essa missa do galo é celebrada, em Roma, desde o século V, na basílica de santa Maria Maior. Pois, o galo, também publica o nascer do sol. E o galo passou a simbolizar vigilância, fidelidade e testemunho cristão. Por isso, no século IX, o galo foi parar no campanário das igrejas.

mons. Arnaldo Beltrami