AS  QUATRO  FASES  DO  ALCOOLISMO

Fase 1

Fase social, sem dependência física, apenas dependência emocional.

Inicia-se na primeira vez que se bebe (lembrando-se que dois fatores são fundamentais: Predisposição orgânica e benefícios, do contrário a doença não se desenvolve).

O primeiro sintoma é a dependência emocional.

O desenvolvimento emocional pára e a pessoa torna-se pouco tolerante.

Como geralmente isso acontece na infância ou na adolescência, a mudança emocional geralmente não é percebida, pois confunde-se com malcriação, infantilidade ou temperamento forte. A partir daí, a doença desenvolve-se mais ou menos devagar, dependendo da predisposição orgânica.

Bebe-se pouco e socialmente, não há perdas em virtude do uso.

Não há problemas físicos.

Fase 2

Fase social, sem dependência física, apenas dependência emocional.

O organismo modifica-se: tem-se a tolerância aumentada (bebe-se mais que na primeira fase) . Não há problemas em conseqüência da ingestão de álcool.

Não há problemas físicos. Não há dependência física, apenas emocional.

Fase 3

Fase problemática, com dependência física e emocional.

Bebe-se muito (altíssima tolerância).O beber torna-se um problema.

Muitos problemas emocionais, ressacas constantes, problemas em decorrência da bebida , problemas familiares, problemas de relacionamento.

Há o inicio da síndrome de abstinência, começam as "PARADAS ESTRATÉGICAS", pode-se haver internações. Há boas expectativas de recuperação física.

Há muitas perdas. Perda de controle.

Fase 4

Fase problemática, com dependência física e emocional.

Bebe-se muito pouco, menos que na fase 1. Inicia-se a atrofia do cérebro.

Pode-se ter delírios. Pode-se ter as mãos trêmulas por períodos excessivamente longos. Problemas físicos e emocionais extremos. Pode-se ter Esquizofrenia.

Muitas vezes confunde-se com PMD (psicose maníaco-depressiva).

Há poucas expectativas de recuperação física. Perdas extremas.