PASTORAL   DO   DÍZIMO

Pastoral do Dízimo é o serviço organizado, em nível de comunidade e paróquia, para que o Dízimo seja compreendido em seu verdadeiro sentido, esteja bem organizado e dê os recursos financeiros necessários para o trabalho de evangelização.

A Pastoral do Dízimo tem dois tipos de metas. O que meta? Meta é um "ponto" que a comunidade ou a paróquia quer atingir, num certo período de tempo, e que seja possível de ser atingido com o trabalho planejado e a participação de todos. As duas metas da Pastoral do Dízimo são: de educação e financeiras.

METAS  DE  EDUCAÇÃO

As metas de educação da Pastoral do Dízimo são duas. A primeira é ajudar os católicos, que já participam da comunidade e os que dela se aproximam, a perceberem e assumirem o Dízimo como sinal de gratidão a Deus, compromisso de fé e expressão de partilha e solidariedade, na certeza de que Deus é o Senhor da vida e dos bens. O anexo 2 ajuda a motivar para esta meta. A segunda meta de educação do dízimo é ajudar os católicos a fazerem gestos de partilha, segundo suas condições de vida e de bens que Deus lhes proporciona, através de festas, promoções, campanhas etc. Estas iniciativas, organizadas de forma comunitária, educam para a partilha.

METAS FINANCEIRAS

A Pastoral do Dízimo também tem metas financeiras.

Primeira meta financeira é reunir através do dízimo, oferecido pelos católicos, os recursos necessários para as despesas ordinárias da comunidade e da paróquia. O dinheiro de ofertas, festas e promoções destina-se, regra geral, a despesas extraordinárias da comunidade e da paróquia. O que são despesas ordinárias? São as despesas normais e fixas para manter os serviços da paróquia e comunidade (funcionários, secretaria, doméstica, côngrua, material, equipamentos de catequese e formação, carro, combustível, trabalho com os mais pobres...). Despesas extraordinárias são despesas com construções novas, grandes reformas, imprevistos ou ajudas a comunidades pobres para construírem seu local de encontros etc.

O Dízimo quer reunir os recursos necessários para as despesas ordinárias, previstas no orçamento paroquial. É a primeira meta financeira. É uma grande meta.

A segunda meta financeira é aumentar os recursos ordinários, fortificando o dízimo, para que a comunidade e a paróquia tenham condições de desenvolver melhor o trabalho de promoção dos pobres. Parte do Dízimo, conforme a Bíblia, deve ser destinado para a promoção dos pobres. Por isso é necessário aumentar os recursos do Dízimo e destinar parte deles ao serviço dos pobres.

A terceira meta financeira da Pastoral do Dízimo é conseguir mais recursos extraordinários para que a comunidade e a paróquia possam ajudar uma comunidade e/ou paróquia mais pobre (comunidade-irmã), e ter melhores condições para a conservação do próprio patrimônio. Recursos extraordinários são recursos advindos de festas, promoções, campanhas, rendimentos patrimoniais etc. As metas da Pastoral do dízimo e das ofertas não são pequenas. A comunidade e paróquia devem planejar, cada ano, para ver o que fazer para alcançar as metas financeiras do Dízimo de forma crescente. A comunidade e paróquia que não estabelece metas na Pastoral do Dízimo terá dificuldades em progredir na sua organização financeiro-comunitária, de forma sólida.

 ORGANIZAÇÃO DO DÍZIMO

Junto com o trabalho de fazer compreender as metas de educação e as metas financeiras do Dízimo, a Paróquia e Comunidade devem ter orientação clara e comum sobre a forma de organizar o Dízimo.

A boa organização do Dízimo exige uma equipe de Pastoral do dízimo em cada comunidade e uma Equipe Paroquial do Dízimo. O que deve fazer a Equipe de dízimo da comunidade? O que compete à Equipe Paroquial do Dízimo?

Primeiro destacamos o que compete às duas equipes (da comunidade e da paróquia), e depois identificamos as atribuições específicas de cada equipe em particular.

EQUIPES DA PASTORAL DO DÍZIMO

As equipes de Pastoral do Dízimo da comunidade e da paróquia devem:

  1. Conhecer o sentido bíblico do dízimo, a organização do dízimo e a maneira de fazer o orçamento comunitário paroquial. Outros subsídios podem ser buscados.

  2. Dar o exemplo de dizimista consciente, fazendo a renovação do seu dízimo.

  3. Atender os dizimistas em dias de celebração (na comunidade) e na secretaria, durante a semana, de forma atenciosa, orientadora e permanente.

  4. Todos os membros da equipe trabalharem juntos e de forma organizada, falando a mesma linguagem e seguindo a mesma orientação.

  5. É bom que alguém da equipe (se possível) tenha experiência administrativa ou contábil.

EQUIPE PAROQUIAL

A Equipe Paroquial do Dízimo tem as seguintes tarefas:

  1. Assessorar, orientar e animar cada comunidade da paróquia para que constitua a sua Equipe de Pastoral do Dízimo.

  2. Ajudar a organizar, com o Conselho Paroquial, o orçamento paroquial de forma participativa e solidária.

  3. Orientar as comunidades sobre o recebimento, o registro (fichário, recibos) e a prestação de contas do Dízimo. A Diocese oferece modelos.

  4. Fazer a prestação de contas do Dízimo paroquial às comunidades através de publicação mensal do balancete e da prestação de contas na assembléia paroquial.

  5. Oferecer subsídios sobre o Dízimo às comunidades e fomentar processo de avaliação e animação permanente do Dízimo.

  6. Encaminhar todos os meses a contribuição da paróquia à diocese, bem como a documentação contábil e administrativa.

EQUIPE DA COMUNIDADE

A equipe da pastoral do dízimo da comunidade deve cuidar, além de outros, dos seguintes pontos:

Organizar e manter o serviço de atendimento aos dizimistas na comunidade, especialmente antes e após cada encontro e celebração, em local visível e confortável (ao menos com uma mesinha e cadeira para sentar).

Manter registro atualizado das contribuições dos dizimistas (fichário) e do documento de pagamento (carteirinha ou recibo).

Fazer prestação de contas mensal do Dízimo na Comunidade, sempre com brevíssima mensagem positiva, valorizando os passos já dados e o crescimento feito nas metas financeiras e educativas da Pastoral do Dízimo.

Participar da elaboração do orçamento paroquial e manter em dia a contribuição mensal com a Paróquia.

Rezar periodicamente a oração do Dizimista na Comunidade.

Manter contato e acompanhamento aos dizimistas, indo a seu encontro, especialmente quando parecem estar se afastando da vida comunitária, ou estão afastados da comunidade.

INSTRUMENTOS DE CONSCIENTIZAÇÃO

Algumas atitudes concretas da Comunidade podem contribuir para o crescimento permanente da consciência do Dízimo e do seu melhor funcionamento. Lembramos alguns instrumentos de conscientização, que devem ser usados:

Ter um local visível e acolhedor, de fácil acesso, para atendimento dos dizimistas, e recebimento do Dízimo, especialmente antes e após cada celebração e encontro comunitário, ou na secretaria.

Incluir, periodicamente, a motivação sobre o sentido do Dízimo nas celebrações (preces, ofertório...), na catequese, nas reuniões das coordenações, nos encontros paroquiais e da comunidade, oferecendo subsídios...

A comunidade se fazer presente na vida do dizimista (lembrar aniversário natalício, de casamento, de batismo, fazer visitas, enviar mensagens de Natal, Páscoa... divulgação do nome dos dizimistas no rádio (no interior)...)

Prestar contas, todos os meses, do movimento do dízimo na Comunidade, sempre valorizando os dizimistas e as metas que estão sendo alcançadas, e lembrando as metas ainda não alcançadas.

Ir ao encontro dos dizimistas que atrasam o pagamento do dízimo ou se afastam da Comunidade, fazendo uma motivação personalizada.

Preparar pequenos folhetos, volantes e subsídios e oferecê-los, periodicamente, a todos os dizimistas.

Rezar e divulgar a oração do dizimista em todas as ocasiões possíveis e oportunas.