DÍZIMO: FRUTO DA  CONSCIÊNCIA 

A prática de ofertar originou-se no principio da criação do mundo, quando Caim e Abel ofereceram a Deus parte dos seus frutos do seu trabalho (Gên 4,3-4), e Deus olhou com agrado para a oferta de Abel e sua oblação; pois ofereceu o melhor se si, ou seja, os primeiros frutos. Noé (Gen 8,20-22); Abraão (Gen 14,17-22): Jacó (Gen 28,20-22 – Gen 35,1-8.14); Moisés (Ex 25,1-9); Tobias (Tb 1,6-8); ofereceram sacrifícios, votos e seu dizimo como reposta ao compromisso e bênçãos recebidas. Ao longo dos anos, Deus foi revelando ao seu povo práticas para a oferta do Dízimo o, que hoje as servem para nós. Jesus, também valorizou esta prática (Mt 23,23).
O
Dízimo é Santo e é a décima parte do nosso trabalho, que pertence a Deus e a Ele devemos devolver (Lev 27, 28-32). É um ato de amor e de fé consciente.

O Dízimo não é tudo na vida do cristão, mas ser cristão e não ser dizimista é muito pouco. O cristão faz parte de uma família.

Na família os pais sustentam os filhos até quando eles mesmos começam a trabalhar e ter seus próprios rendimentos. A partir daí os filhos começam a dar a sua contribuição, na proporção de seus ganhos.

Imagine uma família em que isto não aconteça! Se um dos filhos não se interessa em estudar, não se dispõe a trabalhar e não quer compromisso com nada, este filho com certeza gerará problemas para os demais, ou para a família.

Na família cristã, na Comunidade, cada membro deve participar e contribuir na proporção de seus rendimentos e do seu crescimento espiritual. Desta forma a comunidade cresce e se multiplica, e vai se realizando o projeto de Evangelização de Jesus: “Ide pôr todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura”.(Mc 16, 15).

Quem leva a sério as Palavras de Jesus Cristo, e reconhece a importância da presença de Deus em sua vida, tem consciência de que o DÍZIMO é algo muito sério, importante e necessário.

Desta forma é que devemos ofertar o nosso dízimo, com alegria e gratidão, como manifestação de nossa fé e expressão forte que estamos integrados numa comunidade. A principio, ele deve ser doado na comunidade que residimos, como sinal de compromisso a esta comunidade.

Portanto, é nossa a responsabilidade de colaborar para que a comunidade cresça, a fim de que ela se torne forte na fé, viva e unida, evidenciando-se assim os traços comunitários, autênticos, como nos relata nas virtudes dos primeiros cristãos (At 2,42-27 - At 4,32-35).

O Dízimo é uma experiência Bíblica, um gesto de amor, ternura e bondade (Lc 6,27-38). É necessário um mínimo de compreensão da Palavra de Deus, para que se possa buscar, educar a fé e descobrir a verdadeira dimensão do dízimo.

Existem outras formas de contribuir: através da Oferta e da Esmola.

Oferta é um presente que se dá a Deus, vinda do coração; de forma espontânea e com amor.

Esmola é tudo aquilo que você dá a alguém, sem esperar nada em troca. Quem der aos pobres, não passará necessidade, mas quem fecha os olhos aos pobres, ficará cheio de maldições (Prov 28,27).

Podemos até imaginar que as frases “Deus lhe pague” e “Deus te abençoe”; são repostas de Deus quando ajudamos os irmãos mais necessitados.

Deus cumpre suas promessas e derrama bênçãos além do necessário (Mal 3,8-12). Ele nos abençoa e da mesma forma, nos afasta das maldições (Deut 26,1-68). Com isso, tem curado um dos maiores males da humanidade: O egoísmo.

O homem nasceu para ser próspero e fecundo e isso é como encontrar um grande tesouro. A Palavra de Deus, nos dá à “receita” para isso (Gen 35,11 - Deut 8,1-20 - Deut 29,9 - ICr 22,13).

É importante que façamos uma avaliação de nossa vida, pois a religião não consiste apenas em ritos, costumes e teleologia. Nem é apenas um tipo de culto ou de boas ações. A palavra Religião significa: re-ligar, tornar a ligar nosso coração a Deus, desapegando-se de tudo o que escraviza e dando prioridade a Deus.

‘‘Esse é o caminho para encontrar e experimentar o verdadeiro Deus, pois sua Palavra não falha, nunca falha!. Deus não nos abandona e nos ama imensamente. Concluindo, salientamos que o Dízimo é uma experiência muito forte com Deus. Quem faz essa experiência, com certeza poderá sentir as promessas de Deus ser cumprirem (Mal 3,10-12).

Fazei a experiência...! Só depende de você!