20  RAZÕES  PARA  FAZER  AMOR

Aliviar a dor.

O prazer sexual tem efeito anestésico. O limiar de tolerância à dor pode aumentar até 70% no momento do orgasmo o que explica, entre outras coisas, a superação da dor nas práticas sadomasoquistas.

Ativar a digestão.

Segundo pesquisadores americanos, a saliva que se troca em um beijo "profundo" facilita a digestão e tem efeitos benéficos sobre as defesas do organismo. Um boca-a-boca fogoso faz circular 9 gramas de água; 0,7miligramas de gorduras, 0,45 gramas de sal e 250 bactérias.

Melhorar o humor.

O prazer influencia a produção de serotonina e dopamina, substâncias que "dopam" o cérebro e espalham sensação de bem-estar pelo corpo todo.

Descontrair os músculos.

Carinhos sobre a pele produzem um estímulo que chega até o centro motor nervoso. Quando esse estímulo volta aos músculos, tem efeito relaxante.

Diminuir a ansiedade.

Carícias têm um verdadeiro poder calmante - graças à liberação das endorfinas. Como toda atividade física, fazer amor, permite botar para fora as tensões musculares, nervosas e psicológicas.

Facilitar a fecundação.

O prazer pode favorecer a fecundação, mas isso não é sistemático. Descobriu-se que, a partir de um orgasmo muito forte, a mulher pode ter uma segunda ovulação em um mesmo ciclo.

Estimular a circulação sanguínea.

Durante a excitação sexual, a demanda por sangue aumenta nas zonas erógenas e no resto do corpo também. No momento do prazer, as artérias se dilatam, provocando uma sensação de bem-estar generalizada.

Equilibrar a tireóide.

O prazer sexual favorece o bom-funcionamento da tireóide. Quando a glândula funciona demais, a pessoa sente-se febril, sem energia. Quando ela não trabalha o bastante, a pessoa sente frio, engorda e sua libido diminui.

Regular a menstruação.

Sexualidade mal vivida se traduz freqüentemente por ciclo menstrual irregular. O prazer sexual favorece o equilíbrio hormonal e a menstruação na data certa. Além disso, estudos provam que mulheres que têm bons orgasmos sofrem menos com a tensão pré-menstrual.

Melhorar o sono.

Quando a pessoa se sente bem, o corpo produz endorfinas, que têm poderes calmantes e tranquilizantes.

Manter o peso.

Cada relação sexual de 20 minutos faz perder em média 200 calorias - o equivalente a meia hora de tênis ou uma corrida de 1,5 Km. Se o prazer emagrece pouco, por outro lado produz endorfinas, que acalmam os ataques à geladeira.

Desenvolver o estresse positivo.

Boa parte das substâncias necessárias para uma relação sexual de qualidade é produzida pelas supra-renais, pequenas glândulas localizadas acima dos rins que funcionam melhor sob a influência do prazer. A adrenalina agita os sentimentos em caso de amor à primeira vista; a cortisona age contra a depressão e os hormônios andrógenos estimulam o desejo.

Hidratar a pele.

O prazer aumenta a produção de estrógeno (hormônio sexual feminino), o que faz a pele ficar mais bem irrigada, mais brilhante, mais lisa e mais macia.

Massagear o intestino.

A contração dos músculos abdominais durante o sexo funciona como uma massagem no intestino, o que favorece seu funcionamento.

Exercitar o coração.

O ritmo cardíaco sobe de 70/80 pulsações por minuto no estado de repouso, para 100/160 pulsações por minuto.

Desintoxicar o sangue.

Em estado de repouso, cada pessoa respira, em média, 15 vezes por minuto. Em estado de excitação, a média sobe para 40 vezes. Conseqüência: o corpo fica mais oxigenado, os resíduos de gás carbônico são eliminados e o sangue se regenera. É como fazer cooper.

Aumentar os seios.

Sob o efeito da excitação, o volume dos seios pode aumentar até 25% a sensibilidade se multiplica.

Tonificar o abdome.

Quando se faz amor com freqüência ou por muito tempo, trabalha-se a região abdominal. O responsável é o diafragma: acomodado entre a barriga e os pulmões. Este músculo se contrai sob efeito da aceleração da respiração e cutuca os músculos abdominais.

Alegrar a gravidez.

Inundado de hormônios, o corpo de uma mulher grávida induz a um aumento da circulação sangüínea, em particular no baixo ventre, o que facilita a relação sexual. O prazer é ampliado por espasmos agradáveis do útero, que reage mais a estímulos por causa da presença do bebê.

Melhorar a memória.

O hipotálamo, parte do cérebro onde ficam os centros de memória e de aprendizado, também é estimulado pelo prazer. Uma pesquisa americana feita com estudantes mostrou que a masturbação durante períodos de prova favorecem a concentração - a liberação de energia durante o orgasmo estimula o desejo de alcançar objetivos.