MINISTRO  EXTRAORDINÁRIO  DE  BÊNÇÃO

NORMAS

da instituição

1. O Ministério de bênção é instituição regida pelas normas da Sé Apostólica e da Sagrada congregação para o Culto Divino.

2. Compete ao Arcebispo conceder o mandato de Ministro Extraordinário de Bênção (MEBE), podendo, todavia, fazê-lo através de delegado especialmente designado.

3. O mandato de MEBE será exercido, sempre com observância das normas gerais da Igreja Universal e as particulares da Arquidiocese.

 

dos requisitos para investidura

1. Ser apresentado pelo sacerdote responsável pela Paróquia, sempre que houver necessidade pastoral, devendo:

1.1. Ser pessoa de vida religiosa, bem aceita pela comunidade e ter disponibilidade para o exercício do Ministério.

1.2. Ter formação adequada para o cumprimento da função aos MEBEs confiada.

1.3 Não ter, na Paróquia, outra participação em Pastorais que impeçam o bom desempenho de suas funções.

1.4 Estar consciente de que o Ministério é conferido como um chamado especial para auxiliar o sacerdote e servir ao Povo de Deus.

1.5 Ter no mínimo 25 anos completos de idade.

 

da formação dos MEBESs

1. A formação permanente dos MEBEs far-se-á anualmente, a nível Arquidiocesano e bimestral a nível dos Vicariatos Episcopais.
Nota - O comparecimento a estas reuniões é de caráter obrigatório, considerando-se falta grave a ausência não justificada.

 

do exercício do mandato

1. O mandato do MEBE, que é supletivo, é ordinariamente conferido em favor de determinada Paróquia, podendo, eventualmente, ser exercido em outra Paróquia, desde que dentro dos limites da Arquidiocese e com consentimento do pároco local.

2. Este mandado é conferido pelo prazo de 03 (três) anos, podendo ser renovado, a critério do Sr. Arcebispo, a pedido do Pároco.

3. Quando, por qualquer motivo, o Ministro não estiver mais exercendo seu ministério, deverá entregar a sua funcional, à Comissão Arquidiocesana.

3.1. O MEBE cometerá grave desobediência à autoridade arquidiocesana se continuar no exercício das funções, quando não tenha havido a renovação do seu mandato.

4. O MEBE só poderá ministrar as bênção contidas no "Ritual de Bênçãos para ministros leigos" e usando a veste aprovada pela Arquidiocese.

5. Sempre que houver uma convocação Arquidiocesana, esta terá prioridade sobre os compromissos paroquiais.

6. O MEBE entregará mensalmente, ao representante do seu vicariato, a relação das bênçãos ministradas, para o relatório ao Sr. Arcebispo.

 

das disposições gerais

1. Os casos omissos serão resolvidos pelo Sr. Arcebispo.

2. Estas diretrizes, aprovadas em caráter experimental, entrarão em vigor a partir do dia 1º de março de 2000.

 

+ Dom Carlos Alberto Etchandy Gimeno Navarro
Arcebispo Metropolitano de Niterói