CALENDÁRIO  DE  FESTAS  RELIGIOSAS (2005)
Saiba quando serão celebradas as principais festas religiosas de 2005

Festas cristãs

Sexta-feira Santa - 25 de março - Lembra-se o dia da morte de Jesus. Fiéis simulam a via sacra de Cristo até o Monte Calvário, carregando cruzes pelas ruas das cidades. Praticam-se a abstinência (não comer carne) e o jejum (apenas uma refeição).

Páscoa - 27 de março - Celebra-se a ressurreição de Cristo, com uma missa ou culto solene.

Natal - 25 de dezembro - Comemora-se o nascimento de Jesus. Fiéis juntam a família e realizam uma ceia. Há ainda uma troca de presentes, que representa a partilha entre os semelhantes.

Festas apenas católicas

Ano-novo - 1 de janeiro - O papa lê uma mensagem aos fiéis em favor da paz. O texto é repetido nas missas.

Epifania - 2 de janeiro - Revelação de Jesus para todos os povos, representada pela visita dos reis magos. Celebra-se com missas.

Batismo de Jesus - 9 de janeiro - Data em que se comemora o batismo dos fiéis. Festeja-se com missas.

Quarta-feira de Cinzas - 9 de fevereiro - Início da Quaresma, os 40 dias de orações e espera para a comemoração da ressurreição de Cristo. Celebra-se marcando os fiéis com um sinal-da-cruz feito com cinzas.

Domingo de Ramos - 20 de março - Comemora-se a chegada de Jesus a Jerusalém, com uma procissão e uma missa na qual os fiéis recebem ramos.

Ascensão de Jesus aos Céus - 8 de maio - Data em que Cristo retorna para seu trono ao lado de Deus.

Pentecostes (Festa do Divino*) - 15 de maio - Celebra-se a vinda do Espírito Santo.

Corpus Christi - 26 de maio - Comemora-se a presença do corpo de Cristo na hóstia sagrada. Fiéis fazem uma procissão com a hóstia exposta num ostensório.

Ascensão de Nossa Senhora - 21 de agosto - Celebra-se com missas.

Dia da Padroeira - 12 de outubro - Homenagem à Nossa Senhora da Aparecida. Fiéis realizam uma romaria à Aparecida para cumprirem promessas ou fazerem pedidos.

Finados - 2 de novembro - Homenagem aos fiéis que já morreram. Há visitas a túmulos e realização de missas.

* A Festa do Divino é a comemoração popular do Pentecostes. Não há uma data determinada. Acontece em várias cidades.

Festas muçulmanas (as datas dependem do calendário lunar)

Dia do Sacrifício - 21 de janeiro (aproximadamente). Tempo de peregrinação à Meca. Fiéis que estão no templo sagrado e do mundo todo sacrificam carneiros e bois para partilharem com os pobres. A festa lembra a época em que o profeta Abraão ofereceu um cordeiro a Deus.

Ano-novo - 10 de fevereiro. Data da migração de Maomé de Meca a Medina, na qual se iniciou a expansão do Islamismo. Não há festa. Fiéis são apenas relembrados do dia por meio de sermões.

Início do Ramadã - 5 de outubro (aproximadamente). Mês de adoração à Deus. Islâmicos praticam o jejum, fazem orações dia-e-noite e caridades, para estreitarem o contato divino.

Fim do Ramadã (Festa do Desjejum) - 3 de novembro (aproximadamente). Muçulmanos se reúnem e repartem a comida para marcarem o cumprimento do dever com Deus, depois de um mês de jejum e orações. Neste dia, fiéis devem oferecer uma caridade aos pobres, para que todos compartilhem a felicidade da presença divina.

Festas judaicas

Purim - 25 de março - Lembra-se a salvação do povo judeu do Império Persa. Fiéis devem atender a quatro costumes: ouvir a história da salvação pela manhã e à noite, dar presentes e alimentos a parentes e a pobres e participar de um banquete.

Pessach - 24 de abril - Celebra-se a libertação do povo judeu da escravidão e seu êxodo para o Egito. A comemoração se dá com orações nas sinagogas e com um jantar sem alimentos fermentados, no qual os mais velhos explicam as dúvidas das crianças sobre a data.

Iom Hashoá ve Hagvurá* - 5 de maio - Faz-se uma homenagem às vítimas do Holocausto. No Brasil, palestras e representações artísticas, como peças de teatro, relembram o massacre de seis milhões de judeus pelos nazistas.

Iom Hazikaron* - 11 de maio - Recordam-se os mortos em conflitos anteriores à constituição do Estado de Israel. Fiéis oram pelas vítimas.

Iom Ha'atzmaut* - 12 de maio - Lembra-se a conquista da criação do Estado de Israel, em 1948. Por meio de orações, fiéis agradecem a Deus pelo estabelecimento do país.

Iom Ierushalém - 6 de junho - Dia que marca a reunificação de Jerusalém, capital israelense. Realizam-se orações.

Shavout - 13 de junho - Celebra-se a entrega da Torá no Monte Sinai. Fiéis estudam a Torá até a manhã do dia seguinte. Comemora-se ainda com o leite, que representa o alimento básico para os judeus, assim como o livro sagrado.

Tishá B'Av - 14 de agosto - Lembra-se a destruição do templo de Israel. Fiéis fazem jejum por um dia, excluindo-se também os líquidos.

Rosh Hashaná (Ano-novo judaico) - 4 de outubro - Judeus recebem Deus como rei da criação do mundo. Neste dia, Ele julga a conduta dos fiéis no ano anterior. Celebra-se com orações e um jantar com símbolos para o ano-novo, como a maçã com mel, que representa a doçura.

Yom Kippur - 13 de outubro - Festejado dias após o Rosh Hashaná, a data representa o pedido de perdão dos fiéis de seus pecados no ano passado. Um jejum completo de 24 horas marca o dia da expiação.

Sucot - 18 de outubro - Judeus devem morar por sete dias em cabanas, como os antepassados, que se refugiaram por 40 dias no deserto. Comemora-se com uma prece, na qual quatro tipos de plantas diferentes estão presentes. As folhas representam os diversos tipos de pessoas e a convivência pacífica entre elas.

Chanucá - 26 de dezembro - Festeja-se a vitória dos judeus macabeus contra os gregos. Na comemoração, fiéis acendem oito velas progressivamente em oito dias - representação da reinauguração do templo hebreu.

* Estas festas não são religiosas, prescritas pela Torá, e sim históricas.

Festas do Zen Budismo (origem japonesa)

Morte de Buda - 15 de fevereiro. Faz-se uma reverência ao mestre com a leitura de seu último discurso. No fim da cerimônia, todos realizam uma prece e compartilham bolinhos de arroz.

Origan (Equinócio de Outono) - 21 de março. Culto aos mortos. Realiza-se uma oferenda de comida, como arroz - alimento básico - e algas, para espíritos de todos os níveis de evolução. O objetivo é eliminar a fome da alma.

Nascimento de Buda - 8 de abril. Em procissão, carrega-se uma imagem de Buda quando bebê em cima de um elefante branco. Budistas banham a imagem com chá e enfeitam o altar com flores. A 'água doce' e as flores simbolizam o jardim no qual Buda teria nascido.

Obon (Culto aos ancestrais) - 15 de julho ou agosto. Famílias se reúnem na casa dos parentes mais velhos para reverenciar os antepassados.

O-higan (Equinócio de Primavera) - 21 de setembro. Culto aos mortos. Faz-se uma oferenda de comida, como arroz e algas, para espíritos de todos os níveis de evolução. O objetivo é eliminar a fome da alma.

Iluminação de Buda - 8 de dezembro. Comemora-se a data na qual o mestre atingira o nirvana. Na cerimônia, budistas comungam uma tigela de arroz e feijão que simboliza a busca pela sabedoria alcançada por Buda.
Joya Kane (Ano-novo) - 31 de dezembro. Budistas pedem harmonia e paz no mundo por meio de preces e soando um sino por 108 vezes. As batidas significam os 108 obstáculos para a iluminação.

Grande Sabedoria - 1/2/3 de janeiro. São repetidas as preces do Ano-novo para reafirmar os pedidos de paz.

Festas do Budismo Tibetano*

Losar (Ano-novo) - 9 de fevereiro. No calendário tibetano, 2005 será o ano do Pássaro de Madeira.

Chö Trul Dutchen - 24 de fevereiro. Celebram-se os milagres de Buda, para que se estendam aos demais seres.

Saka Dawa - 23 de maio. Comemoram-se, em uma única data, o nascimento, a iluminação e a morte de Buda.

Chö Khor Dutchen - 10 de julho - Festejam-se os primeiros ensinamentos de Buda, que se resumem às quatro nobres verdades: a existência implica dor, o desejo é origem da dor, a dor extingue-se com o fim do desejo e superação da dor se dá pelo seguimento dos preceitos de Buda.

Hla Bab Dutchen - 24 de outubro - Comemora-se o retorno de Buda à Terra dos Deuses, para levar seus ensinamentos à sua mãe, morta aos oito dias de vida do mestre.

* Em todas as datas, faz-se uma cerimônia especial de homenagem à Buda e à linhagem de mestres que o sucederam. Há oferenda de alimentos e a realização de preces.

Festas hindus

Holi - 25 de março - Comemora-se a entrada da primavera na Índia. No Brasil, faz-se uma refeição repleta de frutas para lembrar o período de fertilidade.

Vesak - 13 de abril - Intersecção do calendário solar e lunar. Comemora-se a interação do feminino e a espiritualidade da Lua com o masculino e a intelectualidade do Sol. Há reuniões para meditação.

Shri Krishna Jayanti - 27 de agosto - Celebra-se o nascimento da deusa Krishna, com uma festa que inclui uma refeição leve de frutas e vegetais.

Ganesha Shaturthi - 7 de setembro - Festeja-se o nascimento do deus da inteligência, Ganesha, com oferendas e mantras específicos.

Diwali - 1 de novembro - Festival das Luzes. Deixa-se a casa iluminada, para que a deusa da prosperidade material e da beleza, Lakshmi, possa entrar.

Festas do Candomblé

Festa das Águas de Oxalá - Janeiro ou setembro. Começo do ano litúrgico dos terreiros. Adeptos vestem-se de branco para pedir a purificação e a paz. A dieta exclui o sal.

Festa à Iemanjá e às divindades femininas - 2 de fevereiro (Bahia) e 8 de dezembro (outros Estados). Oferecem-se alimentos específicos em meio a danças em homenagem às mulheres. Em capitais litorâneas, as homenagens são jogadas ao mar.

Festa de Olubajé - agosto. Culto ao orixá Obaoluayê, que protege os fiéis contra as doenças e tem o poder da cura. Na festa, oferecem-se alimentos e animais sacrificados em troca da proteção.

Senhor do Bonfim* - 13 de janeiro - Homenagem ao orixá Oxalá, deus da Criação. A festa acontece na Bahia, onde mulheres vestidas de branco fazem a limpeza da escadaria da Igreja do Senhor do Bonfim, com água de cheiro, e cantam em louvor ao orixá.

* A festa mostra o sincretismo entre a religião católica e o Candomblé. Como escravos, os negros candomblecistas tinham que lavar a escadaria da Igreja. Hoje em dia, são as baianas (também do Candomblé) que participam do ritual. Só que a homenagem principal é para o orixá Oxalá: o correspondente católico, Bonfim, vem de carona.

Festas da Umbanda

Dia de Oxossi - 20 de janeiro - Homenagem ao orixá guardião das matas, 'caçador' de novos adeptos da religião. Realiza-se uma cerimônia especial com oferendas específicas, como abóbora, vinho e mel.

Dia de Ogum - 23 de abril - Homenagem ao orixá da guerra. Realiza-se uma cerimônia especial com oferendas específicas, como milho verde.

Dia de Obaoluayê - 13 de maio - Homenagem ao orixá da cura. Realiza-se uma cerimônia especial com oferendas específicas, como pipoca.

Dia de Ibeji - 27 de setembro - Homenagem ao orixá da criação. Realiza-se uma cerimônia especial com oferendas específicas, como doces.

Dia de Xangô - 30 de setembro - Homenagem ao orixá do raio. Realiza-se uma cerimônia especial com oferendas específicas, como batata doce.

Dia da Umbanda - 15 de novembro - Comemora-se a data oficial da religião no calendário nacional.

Dia de Iemanjá - 8 de dezembro - Homenagem à orixá, mãe de todos. Realiza-se uma cerimônia especial com oferendas específicas, como água, perfume e flores.

Dia de Oxalá - 25 de dezembro - Homenagem ao orixá, pai de todos. Realiza-se uma cerimônia especial com oferendas específicas, como cravos brancos.

Fontes:

Babalorixá Armando Vallado, do terreiro Casa das Águas (Candomblé); Carlos Eduardo Barbosa, professor de Cultura da Índia do Instituto Narayana (Hinduísmo); Daniel Calmanowitz, diretor do Centro de Dharma da Paz Shi De Choe Tsog (Budismo Tibetano); Dario Bevilacqua, porta-voz da Arquidiocese de São Paulo (Catolicismo); Gilberto Ventura, professor de cultura judaica (Judaísmo); Hilário Bispo, professor de sociologia da Faculdade de Teologia Umbandista (Umbanda); Monja Coen, fundadora da Comunidade Zen Budista em São Paulo (Zen-budismo); Sheik Ali Abdune, presidente da Assembléia Mundial da Juventude Islâmica na América Latina (Islamismo).

Carla  Soares