Campanha da Fraternidade 2005

A CF deste ano é Ecumênica, e não sobre o Ecumenismo. Se quisermos conhecer mais sobre o ecumenismo poderemos recorrer ao Decreto “Unitatis Redintegratio”, do Concílio Vaticano II, que completou, no ano passado, quarenta anos. Há também livros sobre o assunto.

        Também a CF completou quarenta anos no ano passado.

        Mas afinal, porque a CF é Ecumênica?

        Ao propor a CF 05 - Ecumênica, o CONIC (Conselho das Igrejas Cristãs do Brasil) deseja que haja continuação da Campanha da Fraternidade do Ano 2000 que teve como tema “Dignidade Humana e Paz” e o lema “Novo Milênio sem exclusões”. Desta vez, as Igrejas já contam com os frutos da experiência. Agora com novos enfoques para assim percorrerem juntas os Caminhos da Solidariedade para criar condições de Paz (TB 5).

        O Texto Base foi elaborado em conjunto com as Igrejas integradas no CONIC, como também as músicas foram selecionadas com carinho por elas.

        A parceria ecumênica demonstra uma fraternidade bem concreta. Por meio do trabalho conjunto, as Igrejas envolvidas testemunham o desejo de ser sinal da Paz, e da Reconciliação. Dando exemplo, ganham força moral para pedir a toda a sociedade que se una na busca do bem comum e da verdadeira Paz (TB 2).

        Todos os anos, no período da Quaresma, a CF focaliza o compromisso cristão numa direção bem específica, aplicando a um tema determinado as conseqüências de uma verdadeira adesão ao projeto de Jesus.

        É um jeito forte de pôr em prática a recomendação da Primeira Carta de São João: “Não amemos com as palavras nem com a língua, mas com obras e verdade” (1Jo 3,18) (TB 3).

        Todas as Campanhas da Fraternidade fazem parte de um processo que visa:

        • celebrar a Quaresma de forma criativa, convidando à conversão diante de uma situação que exige atitudes cristãs coerentes;

        • ajudar os cristãos a fazerem reflexões que liguem a fé à vida cotidiana e seus problemas, sensíveis aos apelos de Deus que vêm da realidade;

        • proclamar e testemunhar, em ações concretas na sociedade, a disposição cristã de luta pela justiça, pelo bem comum;

        • conclamar e envolver segmentos da sociedade civil que buscam construir uma cultura de Justiça e de Paz (TB 6).

O lema “Felizes os que promovem a Paz” nos remete para as bem-aventuranças.

        Quando Deus nos propõe opções, tem sempre esperança de que escolhamos o melhor, o que nos vai trazer mais felicidade, não só na Vida Eterna, mas ainda aqui neste mundo.

        É assim que o Deuteronômio resume o regulamento proposto ao Povo de Deus: “Foi a vida e a morte que pus diante de ti, a bênção e a maldição. Escolherás a Vida...” (Dt 30,19) (TB 12).

        Escolher a Solidariedade, como meio de promover a Paz, é escolher a Vida (TB 13)

padre Luiz Antônio Brentini

 

Oração da C.F. 2005

Ò Senhor, Deus da Vida, que cuidas de toda criação, dá-nos a paz!

Que a nossa segurança não venha das armas, mas do respeito

Que a nossa força não seja a violência, mas o amor.

Que a nossa riqueza não seja o dinheiro, mas a partilha.

Que o nosso caminho não seja a ambição, mas a justiça.

Que a nossa vitória não seja a vingança, mas o perdão.

Desarmados e confiantes, queremos defender a dignidade de toda criação, partilhando, hoje e sempre o pão da solidariedade e da paz.

Por Jesus Cristo, teu Filho divino, nosso irmão, que, feito vítima de nossa violência, ainda do alto da Cruz, deu a todos o teu perdão.

Amém!