COMO  LER  A  BÍBLIA

Uma questão fundamental que se coloca quando falamos de Bíblia é: como devemos lê-la? Isto é, como interpretar os textos sagrados com seus simbolismos e seus estilos literários? Os Livros Sagrados foram escritos ao longo de muitos anos, (principalmente o Antigo Testamento), de modo que ao examinarmos seu conteúdo, devemos ter sempre em mente, as diferentes situações, épocas e estilos dos autores hagiógrafos, para não cairmos numa leitura sempre reducionista, ao "pé da letra", como se costuma dizer. Por esse motivo, a principal regra nos estudos bíblicos, é a de seguir as orientações do Magistério da Igreja, isto é, a palavra do papa, e de seus auxiliares, os bispos e os teólogos por eles indicados. Embora a Bíblia diga sempre "toda a verdade  sobre as coisa de Deus e da Salvação", (Concilio Vaticano II, Constituição dogmática Dei Verbum), ela constantemente o faz, levando-se em conta os símbolos, e os estilos de época, já mencionados anteriormente. Assim, ao longo do tempo, nunca faltou orientações precisas sobre o significado de cada texto específico de todo o conjunto da Bíblia. Os primeiros interpretes autorizados, foram os chamados "padres da Igreja", do período conhecido como "Patrística", isto é os sete primeiros séculos da Igreja ou Igreja primitiva. Foi dessa maneira que estudiosos como são Clemente de Roma, são Justino, são Clemente de Alexandria, são Gregório de Naziano, santo Agostinho, são Jerônimo e tantos outros, indicaram as principais linhas de compreensão e interpretação das Sagradas Letras. É sempre importante por isso, termos em mãos um exemplar bíblico com muitas notas explicativas aprovadas pelo magistério da Igreja, para termos segurança na compreensão e interpretação dos textos estudados e meditados.