O POTE

Certa vez, o mestre pegou um pote de barro e chamou o seu discípulo e colocou algumas pedras muito grandes dentro do pote e perguntou ao discípulo:

 - Está cheio? E o discípulo respondeu: - Sim.

O mestre pegou uma sacolinha cheia de pedregulhos e a virou dentro do pote e tornou a  perguntar ao seu discípulo:

- E agora, o pote está cheio? E o discípulo respondeu com firmeza:

- Sim, mestre. Desta vez o pote está totalmente cheio.

O mestre então pegou uma lata de areia e a derramou dentro do pote, areia preencheu os espaços entre as pedras grandes e os pedregulhos.

Após o mestre encher o pote com a areia até o topo, o discípulo afoito disse: - Pronto! Agora acabou, mestre.

. Não é possível colocar mais nada neste pote.

O mestre respondeu com um sorriso e virou um copo d'água dentro do pote de barro.

A água encharcou e saturou a areia. Depois disso, o mestre pegou um novo pote vazio e pediu que o discípulo repetisse a experiência, só que desta vez na ordem inversa dos elementos.

O discípulo começou colocando a água, depois areia, depois os pedregulhos e por último tentou colocar as pedras grandes, mas estas já não couberam no vaso, pois boa parte havia sido ocupada com coisas menores.

O mestre então se dirigiu ao discípulo e concluiu a lição:

- O pote de barro é a nossa vida. A nossa disponibilidade de tempo é o que cabe dentro do nosso pote. As pedras grandes são as coisas realmente importantes da sua vida: o seu crescimento pessoal e espiritual e seus relacionamentos com a família e amigos. 

Se você der prioridade a isso e se mantiver aberto para o novo, as demais coisas se ajustarão por si só: seus afazeres com a profissão, seus bens e direitos materiais, seu lazer e todas as demais coisas menores que completam a vida. No entanto, se você preenche sua vida com coisas pequenas, as coisas realmente importantes nunca terão espaço em sua vida.

Nesta experiência vimos que o tempo é, antes de tudo, uma questão de prioridades, de saber o que vem em primeiro lugar.

Muitas vezes perdemos a nossa saúde para ter mais dinheiro, para depois perder o dinheiro para ter mais saúde.

Adicionamos dias à extensão de nossas vidas, mas esquecemos de adicionar vida à extensão dos nossos dias. Engolimos os fatos da vida da mesma forma que engolimos o alimento no horário de almoço. Precisamos aprender a saborear a vida.

Viver é saber transformar os pequenos instantes em grandes momentos.

A felicidade não é um destino, é uma caminhada. Caminhando pela vida entre as coisas que passam é que vamos aprendendo a abraçar as coisas que não passam.

Seja o dono do seu pote e o transforme em um pote de felicidade.

Pois hoje você é, mais do que nunca, o dono do seu pote, o dono da sua história, o dono da sua vitória.